16.6.18

nós por cá...


É interessante perceber os ensinamentos que os nossos filhos têm para nos oferecer.
Perante as limitações físicas evidentes dos próximos meses, um dos nossos filhos logo identificou todas as coisas que terá oportunidade de fazer cá casa e que o estão a entusiasmar, deixando-nos algo perplexos com a capacidade de ver a grandiosidade das pequenas coisas, a oportunidade que brota da dificuldade. A liturgia deste domingo fala-nos precisamente da grandiosidade da Fé a partir da imagem do pequeno grão de mostarda, numa representação simplesmente arrebatadora da grandeza que brota da pequenez (cfr. Mc 4, 26-34).
É no silêncio que escutamos, na quietude que experimentamos a plenitude dos sentidos, no toque ou no olhar que nos encontramos. São estes pequenos nadas que estão na origem do desabrochar do nosso maior tesouro, as nossas relações pessoais, mas sobretudo a nossa relação com o Senhor.
Sim, eu quero aprender com o meu filho e nestes tempos de maior resguardo e quietude, viver intensamente todos os pequenos nadas que o Senhor me dá a graça de poder viver.