4.6.17

para sempre...


"Recebei o Espírito Santo..."
(cfr.  Jo 20, 19-23)

 
Acolher este Espírito no nosso coração é iniciar uma das mais belas histórias de amor, onde nós e o Pai somos em simultâneo interpretes principais e argumentistas. A história tomará o rumo que lhe quisermos dar.
Esta história começa no dia do nosso batismo. Eu não me lembro do meu pois tinha apenas alguns dias de nascimento, e pelas poucas fotografias que o documentam apenas se vê uma capa de lã finamente tricotada que me envolvia naquele longínquo verão, e onde eu acredito que estava. Mas consigo perceber pelo sorriso dos meus pais e padrinhos que foi um momento especial, e consigo sentir, se bem que nem sempre de forma muito clara e evidente que o Espírito que sobre mim desceu naquele dia, permanece no meu coração.
Esta ideia do permanecer, mesmo que nem sempre seja percecionada remete-nos para uma realidade que todos os pais experimentam quando sabem da existência de um filho, o amor eterno.
Na RFM tem passado com muita frequência nos últimos tempos uma canção de amor muito bela cantada a duas vozes, Para Sempre, na voz de Dengaz e Seu Jorge, que diz no refrão: Para sempre no meu coração/  Nada vai levar você de mim /  Vou com você até longe daqui (escutar e ver vídeo aqui). 
Esta história de amor entre Pai e filho, no meu caso entre Pai e filha, começou lá atrás no dia do meu batismo, confirmada no dia do meu Crisma, e é para sempre!

Sem comentários: